sábado, 14 de outubro de 2017

Pycnonemossauro

Nome: Pycnonemossauro ("Lagarto da Mata Densa").
Nome Científico: Pycnonemosaurus nevesi
Época: Cretáceo.
Local: Brasil.

 O pycnonemossauro foi, por muito tempo, considerado o maior dinossauro carnívoro já descoberto no Brasil, isso até a descoberta do Oxalaia quilombensis, quando perdeu esse título. Porém, seu grande tamanho ainda lhe rende o título de maior abelissaurídeo descoberto, atingindo até 9 metros de comprimento, entre 3 e 3,5 metros de altura e pesando até duas toneladas.

 Seu nome significa "lagarto da mata densa", uma alusão ao estado brasileiro onde foram encontrados seus primeiros fósseis: Mato Grosso. Seus fósseis haviam sido encontrados na Fazenda do Roncador, no munícipio de Chapada dos Guimarães, entre 1952 e 1953, por Llewellyn Ivor Price. Porém, a espécie só foi descrita e nomeada em 2002, em um trabalho conjunto de Alexander Kellner e Diógenes Campos. Atualmente, seus fósseis fazem parte do acervo do Setor de Paleovertebrados do Departamento de Geologia e Paleontologia do Museu Nacional, UFRJ.
 Seus fósseis encontrados eram apenas fragmentos: 5 dentes, 7 vértebras caudais, a parte distal do púbis direito, a tíbia direita e a articulação distal da fíbula direita.


Fósseis encontrados do Pycnonemosaurus nevesi.

 O pycnonemossauro foi um grande predador que provavelmente caçava em bandos. Suas mandíbulas e seus dentes eram perfeitos para agarrar, sacudir e rasgar suas presas. Ele caçava animais muito maiores, e suas presas favoritas eram os saurópodes do grupo dos titanossaurídeos, como o maxakalissauro e o trigonossauro, grupo muito abundante na América do Sul no final do período cretáceo. Para caçar, o pycnonemossauro provavelmente utilizava-se de emboscadas e trabalho em equipe para derrubar esses gigantescos animais.




Classificação Científica:


Reino: Animalia.
Filo: Chordata.
Clado: Dinosauria.
Ordem: Saurischia.
Subordem: Theropoda.
Família:  Abelisauridae.
Clado:  Furileusauria.
Gênero:  Pycnonemosaurus.
Espécies:  Pycnonemosaurus nevesi.



Fontes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário